Quando um empregado torna-se Patrão

0
141

Quando um empregado torna-se patrão, assume responsabilidades que nunca tinha vivenciado. Tais responsabilidades vão além da venda, fabricação e entrega dos produtos. Ele precisa traçar metas, elaborar planos, criar estratégias, organizar os recursos financeiros, tomar decisões precisas, motivar a equipe, solucionar problemas, sempre tendo em mente a satisfação dos clientes internos e externos e a maximização de lucros.


A administração é uma ciência que busca a perfeita sinergia (ação conjunta) entre pessoas, estruturas e recursos.

O novo patrão deverá ter conhecimentos em diversas áreas, como: produção, finanças, marketing e recursos humanos. Por isso, não tem como aprender administração sozinho, é preciso se qualificar.

Presenciamos a todo o momento novas empresas que já surgem com grandes serviços, mas sem nenhum compromisso com o cliente e com a qualidade. A sobrevivência de uma empresa não se limita apenas em ter serviços, mas sim em tudo que já abordei nas linhas acima.

Para um negócio sobreviver precisa ser bem administrado para gerar lucratividade e rentabilidade, além de proporcionar satisfação aos colaboradores e investidores.

Por outro lado, a falta de conhecimentos do patrão em diversas áreas da administração faz com que a empresa perca mais dinheiro do que ganhe. A consequência é o dinheiro acabar, a empresa fechar e o patrão virá empregado novamente.

Prof. Alexandre Araújo
Especialista em Esquadrias de Alumínio, Fachadas Pele de Vidro e Glazing e Revestimento em ACM. Certificado na Espanha em Esquadrias com Sistema de Câmara Europeia. Ex-instrutor do SENAI e CEFET. Mestre em Sistemas de Gestão pela Qualidade Total – Organizações e Estratégia e Pós-graduado em Marketing. Professor Universitário. Consultor e Instrutor do SEBRAE. Analista de T&D da AFEAL. Sócio-fundador do Canal do Serralheiro. Autor de três livros.

DEIXE UM COMENTÁRIO